quarta-feira, 17 de junho de 2009

Comunicado do Sacolão das Artes - evidenciando o absurdo

Máquina do Poder Público destrói obra dos trabalhadores da Cultura No dia 25 de agosto de 2007 o desativado sacolão hortifrutigranjeiro do Parque Santo Antônio reabriu suas portas, batizado desde então de “Sacolão das Artes”.
Essa conquista se deu após anos de uma grande luta, iniciada pela União de Moradores do Parque Santo Antonio, à qual se juntaram a Rede Social São Luiz, lideranças comunitárias, grupos e trabalhadores da cultura da região, a Subprefeitura M’ Boi Mirim e representantes do Ministério Público Estadual.
O Sacolão, que há muito havia perdido sua função social e se transformado numa espécie de “supermercado”, servindo apenas para o lucro de um único indivíduo, passa a ser um Pólo de Produção Artística, utilizado por vários grupos e artistas locais como espaço de apresentações, pesquisa, ensaios e criação. E também pela população local, que passa a ter acesso gratuito a uma programação cultural intensa e diversificada.
De sua reabertura até hoje, inúmeras atividades têm sido realizadas ali, produzidas pelos próprios grupos que ocupam o espaço, de modo cooperativo, e por convidados da cidade inteira que, voluntariamente, passaram a compor e enriquecer a programação: espetáculos de dança, música, teatro, circo, debates, palestras, colóquios, exposições, exibições de filmes, festas populares, mostras culturais, seminários, cursos, mutirões, reuniões da comunidade, etc.
Muito ainda precisa ser feito – o prédio carece de inúmeras melhorias arquitetônicas e estruturais – mas o que foi construído e produzido até agora já coloca o Sacolão das Artes como uma das referências da região e da cidade no que diz respeito a Programação Cultural, sendo, inclusive, indicado ao Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro 2009 pela sua importância enquanto Espaço Alternativo de Cultura.
Mesmo diante das enormes dificuldades enfrentadas, da quase total ausência de investimentos públicos, dos entraves burocráticos promovidos por uma má vontade política inadmissível, a avaliação dos trabalhos e dos resultados produzidos é mais que positiva. Mas agora os recém empossados representantes da Subprefeitura M’Boi Mirim, descontextualizados e desrespeitando esse histórico, têm atuado no sentido de destruir o trabalho realizado até então no Sacolão das Artes.
A princípio apresentaram-se como parceiros, depois interditaram o espaço alegando “falta de segurança” e “ilegalidade na ação dos grupos” (quando quem sempre se negou a avaliar e se responsabilizar pela segurança e melhorias no espaço, bem como a ‘regularizar’ as ações e parcerias foi a Subprefeitura) e em seguida confessaram que estão desenvolvendo, nos gabinetes, uma proposta para o espaço, sem discutir com a população e com aqueles que durante os dois últimos anos, diante da omissão do poder público, desenvolveram ações positivas e deram vida a um espaço localizado num dos bairros mais violentos da cidade.
Não bastasse isso, no final de 2008, a partir da mobilização dos grupos atuantes no espaço, foi apresentada pela ex-vereadora Soninha, e aprovada, uma emenda parlamentar para produção cultural no Sacolão em 2009, no valor de R$350.000,00 e, transcorrido meio ano, o dinheiro ainda não foi liberado. Neste ano captamos recursos e mão de obra junto a uma organização européia para a construção de três salas multiuso no espaço e a Subprefeitura barrou a construção, sem justificativa plausível.
Diante de tantos absurdos, o Sacolão das Artes – e os grupos que participam de se sua construção – manifestam aqui seu total repúdio a esta postura e à falta de um debate qualificado por parte da equipe da Subprefeitura M’ Boi Mirim, em relação à questão cultural na região.
É inaceitável que “projetos prontos“ sejam “atirados em nossas cabeças”, motivo pelo qual buscaremos, de todas as formas, o direito de constituirmos um Pólo Sociocultural diferenciado, com uma gestão coletiva e popular. Um espaço de produção de conhecimento e não um “supermercado de eventos culturais”.

Bloco do Beco
Brava Companhia
União de Moradores do Pque Sto Antonio, Jd. Antonieta e Adjacências
Rede Social São Luiz
Casa de Arte e Paladar
Instituto Umoja – Dramaturgia Negra e Cultura Afro-Brasileira
As Capulanas – Companhia de Arte Negra
NCA – Núcleo de Comunicação Alternativa
Projeto 8 Usinas de Teatro e Música
Grupo Teatral Atuarte
Projeto Bairro da Paz

4 comentários:

rishi disse...

parabéns pelo trabalho

?Silvia Daiane disse...

Parece q arte é sempre luta... Só pra vcs saberem, o CAT tb parou, é um projeto novo q começou ano passado para aperfeiçoamento teatral, não sei se conhecem, parou por um mês por falta de verba... pode ser que volte, pode ser q não...

?Silvia Daiane disse...

Gostaria de saber em q pé vcs estão...
abraço!

Tatiana disse...

Olá , Brava!

Estamos repasando este !comunicado de vcs"

www.ciahumbalada.zip.net

beijos